Blog Clube do Zero - Saúde, receitas e qualidade de vida para quem tem restrições alimentares

Nosso Blog

Entrevista com Gabriela Penter no Clube do Zero

Confira a Entrevista com Gabriela Penter

O Clube do Zero traz uma Entrevista com Gabriela Penter. A nutricionista de 28 anos apaixonada pela vida que descobriu o amor pela profissão ainda durante a adolescência após passar por uma grande reeducação alimentar.

Formada na Austrália em Raw Food Chef Course mantém uma relação próxima e harmoniosa com a culinária funcional. Acredita que a diversidade, sem restrições e radicalismos, trazem um maior ponto de equilíbrio e uma saúde mais estável. 

Leia abaixo nossa Entrevista com Gabriela Penter!

[Clube do Zero]: O que é intolerância à lactose?

[Gabriela Penter]: Intolerância à lactose é a dificuldade, total ou parcial, de digestão do açúcar presente no leite, a lactose. A lactose é a molécula composta por dois monossacarídeos, a galactose e a glicose, e precisa ser digerida através da presença de uma enzima chamada lactase, para então ser absorvida no intestino delgado.

[CZ]: Como ela pode ser descoberta na nossa rotina?

[GP]: A presença da lactose não digerida no intestino delgado vai causar retenção de líquido e as bactérias presentes no intestino irão fermentar este açúcar e gerar produção de gás, causando desconforto abdominal e muitas vezes diarreia. Portanto ela pode ser descoberta pela percepção destes sintomas mais comuns. E também pode ser feito exame laboratorial.

[CZ]: Qual a razão do seu surgimento?

[GP]: A redução na produção da enzima lactase (hipolactasia), pode ser primária, através de uma redução geneticamente programada com mecanismo ainda pouco conhecido na produção de lactase ou secundária, através de doenças que causam danos na borda da escova da mucosa do intestino delgado, ou que aumentam significativamente o tempo de trânsito intestinal, como as enterites infecciosas, doença celíaca, diverticulite, doença de crohn… Estas secundárias podem ser transitórias e reversíveis.

 

[CZ]: Quais são os sintomas de alguém Intolerante à Lactose?

[GP]: A presença da lactose não digerida no intestino delgado vai causar retenção de líquido e  as bactérias presentes no intestino irão fermentar este açúcar e gerar produção de gás, causando desconforto abdominal e muitas vezes diarreia. Portanto ela pode ser descoberta pela percepção destes sintomas mais comuns.

Alguns autores também acreditam que a intolerância à lactose seja responsável por diversos sintomas sistêmicos, como dores de cabeça e vertigens, perda de concentração, dificuldade de memória de curto prazo, dores musculares e articulares, cansaço intenso, alergias diversas, arritmia cardíaca, úlceras orais, dor de garganta e aumento da frequência de micção. Na presença de sintomas sistêmicos, é preciso avaliar se de fato decorrem da intolerância à lactose, se são sintomas coincidentes ou se decorrem de alergia à proteína do leite de vaca.

[CZ]: Há algum tratamento específico?

[GP]: Para hipolactasia primária é necessário a retirada total e permanente do consumo de alimentos que contêm lactose ou uso eventual de enzima lactase, quando necessário. Para hipolactasia secundária é recomendado retirada temporária de alimentos que possuem lactose, tratamento da doença e após verificar a necessidade de manter ou não o consumo de produtos com lactose.

[CZ]: Pessoas Intolerantes à Lactose não podem consumir nenhum alimento a base de leite?

[GP]: O tratamento consiste na retirada total ou temporária de todos os produtos que contenham lactose, tal como leite de vaca e derivados.

[CZ]: Alergia à Proteína do Leite de Vaca [APLV] e Intolerância à Lactose são a mesma coisa?

[GP]: Não, a alergia à proteína do leite de vaca é uma reação imunológica exagerada após o consumo de leites e derivados, mas ligado a porção protéica do leite e não ao açúcar, como a intolerância a lactose.

 

[CZ]: O que é doença celíaca?

[GP]: É uma desordem sistêmica autoimune desencadeada após o consumo de glúten. Ocorre a inflamação crônica da mucosa do intestino delgado, podendo causar atrofia das vilosidades intestinais e como consequência, má absorção de nutrientes.

 

[CZ]: Existe algum tratamento para quem é celíaco?

[GP]: Retirada total de alimentos que contenham glúten em sua composição.

[CP]: O problema é considerado hereditário?

[GB]: Sim.

[CZ]: Como descobrir este problema sem correr maiores riscos?

[GB]: Os exames de sangue são muito utilizados na detecção da doença celíaca. Os exames do anticorpo anti-transglutaminase tecidular (AAT) e do anticorpo anti-endomísio (AAE) são altamente precisos e confiáveis, mas insuficientes para um diagnóstico. A doença celíaca deve ser confirmada encontrando-se certas mudanças nos vilos que revestem a parede do intestino delgado. Para ver essas mudanças, uma amostra de tecido do intestino delgado é colhida através de um procedimento chamado endoscopia com biópsia.

 

[CZ]:  O que ocorre com uma pessoa que possui diabetes?

[GP]: Diabetes é uma doença crônica na qual o corpo não produz insulina ou não consegue empregar adequadamente a insulina que produz. Existem dois tipos de Diabetes:

Diabetes tipo 1: Quando sistema imunológico ataca equivocadamente as células beta do pâncreas, responsáveis pela produção do hormônio insulina, que carrega para dentro das células a glicose. Logo, pouca ou nenhuma insulina é liberada para o corpo. Como resultado, a glicose fica no sangue, em vez de ser usada como energia. Este Diabetes concentra entre 5 e 10% do total de pessoas com a doença.

O Tipo 1 aparece geralmente na infância ou adolescência, mas pode ser diagnosticado em adultos também. Essa variedade é sempre tratada com insulina, medicamentos, planejamento alimentar e atividades físicas, para ajudar a controlar o nível de glicose no sangue.

Diabetes tipo 2: Ocorre quando o organismo não consegue usar adequadamente a insulina que produz; ou não produz insulina suficiente para controlar a taxa de glicemia. Cerca de 90% das pessoas com diabetes têm o tipo 2. Ele se manifesta mais frequentemente em adultos. Dependendo da gravidade, ele pode ser controlado com atividade física e planejamento alimentar. Em outros casos, exige o uso de insulina e/ou outros medicamentos para controlar a glicose.

A insulina é um hormônio que controla a quantidade de glicose no sangue. O corpo precisa desse hormônio para utilizar a glicose, que obtemos por meio dos alimentos, como fonte de energia.

[CZ]: O que fazer para evitá-la?

[GP]: O Diabetes tipo 2 pode ser evitado com alimentação equilibrada, composição corporal adequada, prática de atividade física e conhecer o histórico da doença na família.

[CZ]: Qual a forma mais eficaz de se descobrir a diabetes?

[GB]: Exame de sangue laboratorial é indicado para diagnóstico.

[CZ]:  Diabetes é hereditário?

[GP]: Pode ser.

[CZ]: Como equilibrar a quantidade de açúcar no corpo sem exageros?

[GP]: Consumir alimentos na sua forma íntegra, ou seja, com presença de casca, sementes e mais fibras ajuda a reduzir a quantidade de açúcar liberada na corrente sanguínea.  Evitar o consumo isolado de fontes de carboidratos em uma refeição, associando a estes outros alimentos que sejam fonte de proteína e gorduras.

[CZ]: A alimentação é o maior fator de risco para desenvolvê-la?

[GP]: Eu diria que hábitos saudáveis em geral, não apenas a alimentação.

 

[CZ]: Como definimos Intolerância ao Glúten?

[GP]: Pode ser definido como a sensibilidade na digestão do glúten, ocasionando alguns sintomas, porém sem reação imunológica sistêmica.

[CZ]: Intolerância ao glúten é o mesmo que doença celíaca?

[GP]: Algumas pessoas têm uma sensibilidade ao glúten, com sintomas parecidos com a forma clássica da doença celíaca, porém não tem a característica de doença auto imune sistêmica.

 

[CZ]: Quais os riscos que uma pessoa pode ter se mal informada sobre suas

restrições?

[GP]: Persistir com agressões no seu organismo e causar danos maiores.

[CZ]: O que devo fazer ao levar uma pessoa celíaca para minha casa?

[GP]: Não oferecer nenhum alimento que seja fonte de glúten e acolhê-la da mesma forma como todas as pessoas que vão a sua casa, oferecendo alimentos alternativos, que são muitos e muito deliciosos.

[CZ]: Quem possui restrições deve ir com frequência ao médico?

[GP]: Não necessariamente. Uma pessoa que esteja com a doença estável e controlado não possui necessidade de ir ao médico com frequência.

Gostou da nossa Entrevista com Gabriela Penter? Compartilhe com seus amigos!

Acompanhe Gabriela Penter nas redes sociais.

Facebook, Site, Instagram do site, Instagram pessoal .